NOTÍCIAS

Cultivando Cidadania

Para ampliar a oferta de alimentos saudáveis para os moradores do Aglomerado Cabana do Pai Tomás, programa oferece oficinas de hortas agroecológicas e convida para visita aberta à primeira unidade produtiva!


Fotos: Eric Bezerra/MPMG


Aconteceu, no dia 16 de maio, a primeira visita aberta às oficinas de hortas agroecológicas do Programa Cidadania em Rede na Associação Mineira de Proteção à Criança (AMPC). A iniciativa é uma importante etapa do Programa, que visa a implantação de unidades produtivas urbanas no Aglomerado Cabana do Pai Tomás e conta com a parceria da Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional de Belo Horizonte (SUSAN/SMASAC).

As oficinas ocorrem desde o início de abril na AMPC e são ministradas pelo agricultor e biólogo Raphael Bonzi, que está conduzindo as formações teóricas e práticas sobre os princípios da agroecologia, passando por temas como o cultivo de alimentos saudáveis, preservação do solo, técnicas de manejo e cultivo agroflorestal. As aulas contam com a presença de membros da associação e moradores da comunidade.

"Cultivar uma horta no espaço da AMPC é importantíssimo, não somente como meio de enriquecimento da alimentação das crianças e adolescentes atendidos, mas sobretudo como espaço pedagógico onde elas possam aprender que é possível cultivar alguns alimentos, mesmo em pequenos espaços. Todos os participantes deste projeto serão multiplicadores do conhecimento adquirido fazendo com que mais e mais pessoas possam adotar atitudes de aproveitamento de seus espaços para cultivo de chás, hortaliças, enriquecendo assim a alimentação da própria família" - Ir. Maria do Rosário, diretora AMPC

A AMPC atende 352 crianças e adolescentes do Aglomerado e região. Os produtos produzidos na horta serão destinados para completar a alimentação oferecida a elas e o excedente será doado para as famílias acompanhadas. Em breve, outra unidade produtiva será implantada na comunidade, na Escola Estadual Cabana do Pai Tomás, por meio da parceria com a Associação dos Moradores do Aglomerado Cabana (ASMAC).

A visita no dia 16 foi uma etapa prática das atividades, contando com a presença de representantes do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, do CeMAIS e da SUSAN/SMASAC, além dos participantes envolvidos nas oficinas. Francisco Ângelo, promotor de Justiça e membro do Comitê de Acompanhamento do Programa Cidadania em Rede, foi um dos convidados, e ele destaca a importância do programa:

“A segurança alimentar nesta grave situação econômica que atravessamos é uma realidade que precisa ser enfrentada com urgência e com soluções sustentáveis, mas, o "Cidadania em Rede" tem a missão ainda maior de articular, mobilizar e fortalecer a rede de apoio e solidariedade em mais ações de cidadania e fortalecimento voltadas à população vulnerável de Belo Horizonte, e o Aglomerado da Cabana do Pai Tomás é o foco inicial”

A proposta do Cidadania em Rede com o desenvolvimento das hortas é fomentar ações que promovam a produção de alimentos saudáveis e a geração de renda. Em um cenário nacional de crescimento da fome, agravado pela pandemia de Covid-19 e o desmonte de políticas públicas, o Programa se propõe a desenvolver a conscientização sobre a alimentação e a produção de alimentos, aproximando do cotidiano urbano o acesso a alimentos frescos e saudáveis.

"A implantação das hortas agroecológicas é uma ação do Cidadania em Rede que foi planejada a partir do diálogo com as instituições e lideranças da comunidade, incluindo o envolvimento de todas as organizações executoras do programa e importantes parceiros, como a Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional de Belo Horizonte e a Emater-MG. Iniciativas como essa são fundamentais para ampliar o acesso a alimentos saudáveis e contribuir para a segurança alimentar" - Delânzia Junho, Supervisora do Programa.





Sobre o Programa Cidadania em Rede:

O Programa foi criado em 2021, a partir do Acordo de Cooperação Técnica celebrado entre Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Município de Belo Horizonte, por intermédio da Procuradoria-Geral de Justiça do Município (PGM) e a parceria do CeMAIS, com a proposta de promover ações em prol da segurança alimentar, promoção da cidadania e desenvolvimento comunitário. Conta ainda com o patrocínio da ArcelorMittal Brasil, Cemig, AVG Siderurgia, Cedro Mineração, Bemisa e Sindiextra, e o apoio da Associação Mineira do Ministério Público (AMMP), Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis), Nepomuceno Soares Advogados Associados e Dinorá Carla Sociedade Individual de Advocacia.


25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo