Cartas solidárias

Atualizado: Jun 18

Em tempos de confinamento, as tecnologias ganharam ainda mais força e se tornaram um importante recurso para driblar a saudade daqueles que amamos e que estão longe. Vídeo chamadas, Lives, fotos e aplicativos de bate-papo já fazem parte do dia-a-dia das Instituições de Longa Permanência filantrópicas de Belo Horizonte, suprindo em parte, as visitas presenciais que permanecem suspensas.


Nesse momento em que é exigido de nós uma reinvenção, uma iniciativa da Associação pela Saúde Emocional de Crianças – ASEC de São Paulo, é a dica de Boas Práticas da semana.


Em encontro virtual, reuniram-se, na quinta-feira 4 de junho, mais de 20 integrantes do corpo técnico das 28 ILPIs filantrópicas de BH, para alinhamento da Campanha de Cartas Solidárias. A entidade tem como objetivo promover ações no meio escolar, no ambiente de trabalho e na sociedade em geral, especialmente nesta ocasião, para idosos e cuidadores, para que sintam – por meio de recebimento de cartas, no caso dos idosos – o contato intergeracional utilizando-se de linguagens adequadas a cada faixa etária. A ASEC desenvolve habitualmente, ações voltadas à saúde emocional e mental de crianças, e devido o atual contexto, foram estendidas para os públicos jovem, adulto e idoso.


A ASEC, se baseou no projeto original Letters to strangers desenvolvido por uma jovem dos Estados Unidos, que ensinava a terceiros a escrever cartas acolhedoras para pessoas desconhecidas. Inspiradas, nesse projeto, foi feita a mobilização das escolas parceiras, crianças e adolescentes para repetir o gesto e enviar essa carta para um idoso em situação de residência.


Esta é uma iniciativa que está humanizando e levando um pouco de carinho para o digital, trazendo a construção de habilidades e expressão individual de cada criança. Os programas atuam na linguagem da saúde mental e emocional, e é essa a proposta das cartas para os idosos. A carta é tanto para quem escreve tanto para quem recebe, uma vez que ambos envolvidos passam por um processo de reflexão.


0 visualização