NOTÍCIAS

A pessoa em primeiro lugar

Filha, irmã, amiga, noiva e profissional. Essa é Izabella dos Santos Lisboa. Ou Bella, como é conhecida pelos mais próximos. Ela tem 24 anos, suas cores favoritas são azul e branco. É a irmã mais velha de duas crianças em idade escolar. No tempo livre, Izabella gosta de cuidar dos irmãos e da casa. Atualmente, é colaboradora na MRV Engenharia, onde já foi promovida duas vezes. Ela define sua personalidade em três palavras: alegre, divertida e carinhosa. Segundo ela, parte de seu jeito de ser tem muitas semelhanças com a natureza do pai. Izabella conta que, se ele está bravo, ela tende a ficar brava também.


Além disso, Izabella tem como característica a síndrome de Down. Desde 2015, é educanda do Mano Down, onde participa de atividades que preparam para um caminho de autonomia e destaque na sociedade.

Trabalho


Para ela, o trabalho é um ponto importante em sua vida. Sua primeira inserção no mercado de trabalho foi como recepcionista na MRV Engenharia. A partir daí, foi crescendo na empresa. “Pela experiência, fui promovida no trabalho. Fui primeiro para o departamento pessoal. Hoje, eu estou na cobrança financeira há seis meses”, contou Izabella.


Na sua função atual, ela já bateu as metas propostas duas vezes. “Eu fiz um monte de amigos, tenho um monte de chefes que eu amo. São amorosos, com eles minha vida mudou por causa do meu dinheiro, minha vida mudou, graças a Deus. Eu fico feliz de estar ajudando a minha mãe a pagar tudo. Eu estou com esperança”, revelou.


O sonho da família


Quando questionada sobre como se vê daqui a 10 anos, Izabella foi direta: “Mãe. Quero ser mãe. Tenho três nomes já. O pai da minha mãe já morreu, então um vai se chamar José Augusto, porque era o nome do meu avô. Outro que minha mãe sugeriu foi Laura, mas, vai ser Maria Laura por causa da Maria, mãe de Deus. O outro minha sogra escolheu, Sol, pensei: vai ser Solange, Maria Solange”.


O desejo de construir uma família está sempre na mente de Izabella. No presente, esse sonho se articula na sua relação com os dois irmãos mais novos, Giovanna e Pedro. No dia a dia, Izabella participa ativamente dos cuidados dos irmãos. Ela conta com alegria dos momentos que divide com eles: "Eu cuidei da Giovanna primeiro, em 2012. Eu a amo, é uma menina linda, amorosa, minha irmã Giovanna. Cuidei dela muito bem. Eu acredito muito nela. Aí, em 2015, chegou o Pedro, e eu sou madrinha. Eu falei com minha mãe: ‘quero ser madrinha’, e ela me deu a oportunidade junto com meu primo. Eu cuido dos meus irmãos, o Pedro é o bagunceiro da casa”.


No último ano, Izabella ficou noiva de seu namorado, Luiz Augusto de Mendonça. O pedido foi feito no aniversário dela. “Ele pediu a minha mão para o meu pai e aí eu aceitei. Meu pai não gostou, e eu falei: ‘amor, vamos dar um presente pro meu pai’”, lembrou-se Bella. O pai dela é um grande apreciador de cachaça e ela deu essa dica para o namorado. “Aí meu namorado deu uma pinga pro meu pai e ganhou o coração dele", brincou.


O papel do Terceiro Setor na consolidação dos sonhos


No finalzinho de setembro de 2015, Izabella iniciou sua trajetória como educanda do Mano Down. “Eu vim pra cá com minha mãe e minha vida mudou. Tanto em casa, quanto no trabalho, porque o trabalho é uma grande experiência na minha vida. Eu amo a minha vida. Então, mudou bastante tudo: namorar, casamento... Eu amo rotinas, eu gosto da minha rotina. Eu falo da minha rotina porque tenho sete anos de Mano Down, né, e fico feliz”, comentou Bella.


A instituição oferece várias atividades para trabalhar a autonomia. Entre elas, Izabella tem suas favoritas, como a culinária. “Tem muita comida que eu amo. Influência digital, eu gosto, gosto de yoga também. Capoeira foi há muito tempo atrás, meu tio Marcelo, né, faz capoeira, puxei ele,” afirmou a educanda.


Perguntada sobre o que gostaria de dizer para outras pessoas com deficiência que estão buscando protagonismo e autonomia em suas vidas pessoais e profissionais, ela disse: “Acredite nos seus sonhos”.


Sustentabilidade é não deixar ninguém para trás


As pessoas com deficiência ainda são, muitas vezes, excluídas do convívio social e estão fora do mercado de trabalho. Uma sociedade sustentável, justa e feliz se conquista quando todas as pessoas têm seus direitos garantidos e a oportunidade de realizar seus sonhos.


Como resultado de políticas públicas que determinam a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, do compromisso das Organizações da Sociedade Civil com a garantia de direitos e de famílias em oferecer oportunidades e suporte para o crescimento pessoal, histórias como a de Izabella são possíveis!


O artigo 8º do Estatuto da Pessoa com Deficiência determina que é dever do Estado, da sociedade e da família assegurar à pessoa com deficiência, com prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à sexualidade, à paternidade e à maternidade, à alimentação, à habitação, à educação, à profissionalização, ao trabalho, à previdência social, à habilitação e à reabilitação, ao transporte, à acessibilidade, à cultura, ao desporto, ao turismo, ao lazer, à informação, à comunicação, aos avanços científicos e tecnológicos, à dignidade, ao respeito, à liberdade, à convivência familiar e comunitária, entre outros decorrentes da Constituição Federal, da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo e das leis e de outras normas que garantam seu bem-estar pessoal, social e econômico.


Instituto Mano Down


O trabalho do Instituto Mano Down teve início em 2011. O objetivo da organização é realizar inclusão das pessoas com deficiência intelectual na sociedade, por meio do desenvolvimento potencializado, promoção da autonomia, geração de oportunidades e inclusão efetiva entre pessoas com e sem deficiência. A atividade da instituição é pautada pela ética, transparência, criatividade com resultados e empatia para integração.


Saiba mais sobre o trabalho da organização: manodown.com.br


Por: Jênnifer Rodrigues


Esse e outros conteúdos você encontra na 17ª edição da Revista Valor Compartilhado. Confira: Revista Valor Compartilhado.

4 visualizações0 comentário